Terça, 20 de Abril de 2021
14981559897
Geral RECORDAR

O Pirajuí Atlético Clube era um timaço

Nesta coluna, Tico Cassola relembra o timaço formado pelo Pirajuí Atlético Clube.

02/04/2021 15h16
Por: Francisco Alves Neto Fonte: Da redação
O Pirajuí Atlético Clube era um timaço

Do nosso amigo Pedro Luiz Tonon, recebemos uma bonita foto do glorioso time do Pirajuí Atlético Clube. Ao mesmo nos perguntando quais os jogadores de Garça que jogavam no time. O palmeirense Pedro Tonon, devido aos afazeres profissionais – funcionário do Banco do Brasil – trabalhou e morou em Pirajuí, por quase 14 anos, entre os anos de 1978 e 1992.

E neste período notou como o futebol pirajuiense era forte e competitivo. Tinha uma fanática torcida, que comparecia no Estádio Municipal “Francisco Nazareth Rocha’, graças a rivalidade existente entre o Pirajuí Atlético Clube e o Flamengo Futebol Clube. Dois times que marcaram época. Disputaram o futebol profissional do interior paulista, da terceira, quarta e quinta divisão, entre os anos 50 e 90. 

O Pirajuí (fundado em 27/12/1927) disputou em seis ocasiões, e o Flamengo (fundado no ano de 1974), participou de quatro edições.  Com as dificuldades do profissional, se limitaram somente ao futebol amador da região, organizado pela Liga de Futebol de Bauru. Hoje ambos os times estão com as atividades paralisadas. 

Voltando a foto do Pirajuí, que apuramos ser de meados dos anos 90, vamos a escalação. Em pé da esquerda para direita: Lili Prado (dirigente), Tudão, Geraldinho, João Loco, Gilmar, Gilberto, Rubinho, Martoni, Márcio Miranda e Jabú. Agachados: Mateus, João Paulo, Luiz Carlos, César, Eduardo, Diquinha e Polaco.  O lateral João Loco é irmão do ex-goleiro Mário César, que jogou no Garça, nos anos 70, que curiosamente também tinha o apelido “Mário Loco”.

Nesta temporada quatro jogadores eram de Garça: Márcio Miranda, Jabú, João Paulo e Polaco. Outro que também jogou lá foi o Osmar “Tanajura” Davi Jr. O Reinaldo “Polaco” Rossini foi o que jogou mais tempo, em três temporadas. Segundo ele, o campeonato era promovido pela Federação Paulista de Futebol, através da Liga de Futebol de Bauru, e chegou a ter quinze fortes, representando as cidades de Reginópolis, Pongaí, Urú, Iacanga, Arealva, Duartina, Ibitinga, Balbinos, Areiopólis, Piratininga, Agudos e outras.

O Pirajuí foi campeão uma vez e nas outras chegou até o quadrangular final, cumprindo uma excelente campanha. Outra boa recordação que o Polaco lembra de Pirajuí, é do presidente Lili Prado, um esportista nato, assim como era um fanático torcedor do Corinthians. No interior poderia até ter um igual, mais apaixonado não. A começar pelo jeito de vestir dele. Só usava roupas nas cores preta e branco, combinado com o sapato, na mesma tonalidade. O carro, um corcel, nas cores alvinegras com um grande distintivo do Corinthians no vidro traseiro. Até a residência onde morava tudo em preto e branco: piso, azulejos e móveis. Lili Prado é considerado, merecidamente,  uma eterna bandeira do esporte pirajuiense.

Agora veja como estão três jogadores que defenderam o time do Pirajuí AC: os defensores Jabú e Polaco, o primeiro lateral esquerdo, o outro direito. Atualmente jogam no master do Pé de Cana. E depois o atacante João Paulo Isidoro, meia direita habilidoso, um grande cabeceador, que é destaque do futebol suíço master, com a camisa do Salec.

 

 

                                                     Wanderley “Tico” Cassolla

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.