Domingo, 25 de Outubro de 2020
14981559897
Geral HOMENAGEM

Dona Ilka: 102 anos de alegria e vitalidade

Este sábado, 10 de outubro, é uma data especial para a família Fernandes e a comunidade garcense de uma forma geral, que comemora 102 anos de uma de suas mais antigas moradoras.

10/10/2020 14h58 Atualizada há 1 semana
1.637
Por: Francisco Alves Neto Fonte: Da redação
Dona Ilka: 102 anos de alegria e vitalidade

Eeste sábado (09), é dia de festa para a família Fernandes, que comemora mais um ano de vida de uma de suas mais antigas representantes. O dia é de festa para toda a comunidade garcense de uma forma geral, pois a afetuosa e simpática Ilka Ribeiro Fernandes celebra nada menos do que 102 anos de idade, e pelo menos 74 deles vividos na Sentinela do Planalto. 

Esta semana, após descobrirmos essa importante e significativa data, a reportagem do Jornal Mais esteve na casa da simpática senhora, localizada rua Guanabara no Bairro Cascata, para que ela contar um pouco de sua notável aventura centenária. 

Avessa a holofotes, ela fez questão que fossem escritas poucas linhas de sua “história triste” (disse rindo), pois, humildemente, não se considera uma personalidade. Apenas uma pessoa que construiu uma trajetória de vida baseada no trabalho, na simplicidade, e na dedicação à família. Muita embora ela considere que sua história não tenha tanta relevância, sua longevidade certamente tem.    

Nascida na Capital, no dia 10 de outubro de 1918, Ilka é uma das cinco filhas do casal João Martins Ribeiro e Alzira Ribeiro, que também tiveram um único filho homem: João Ribeiro Filho. Ilka fala com orgulho do irmão, que acabou se tornando um dos mais conhecidos e respeitados locutores do país. Passou por importantes emissoras do país, especialmente a conhecida Rádio Tupi, e ficou para a história ao apresentar o primeiro telejornal brasileiro em 1950, um dia após a inauguração da televisão no país.

Enquanto o irmão Ribeiro Filho marcava seu nome na história do rádio, Ilka vivia em Garça ao lado do marido Clóvis Fernandes, que foi aluno e piloto do Aero Clube de Garça na década de 50. O casal chegou em Garça em 1946, quando o marido desembarcou do trem no município para comandar o Cartório de Registro Civil do pai, função que exerceu por muitos anos ao lado do irmão Jacy Fernandes. Ilka trabalhou por vários anos ao lado do marido no cartório que ficava localizado próximo ao Fórum. 

Da união com Clóvis, Ilka teve uma única filha, Stella Maria Fernandes Baracat, que hoje divide com o marido William Baracat a responsabilidade de cuidar da centenária senhora, vivaz e engraçada. O que para muitos seriam um fardo, para William é um grande privilégio, e o cumprimento de um compromisso moral assumido com seu sogro.  

Na verdade, Ilka difere totalmente dos idosos de sua idade. Sempre disposta e com o sorriso largo, com uma pele brilhante e jovial, incomum na sua idade, a centenária esbanja uma vitalidade invejável, satisfaz sozinha todas as necessidades pessoais, como tomar banho, se arrumar, comer. 

Não possui nenhuma dieta restritiva e o apetite ainda é ótimo, entrega o genro. E adora um doce. Durante a entrevista saboreava e oferecia ao repórter (eu no caso) umas deliciosas bolachinhas de nata que disse ter feito. Pra quem ainda faz tricô e crochê não é de se duvidar de que faça algumas incursões pela cozinha. 

Após relutar um pouco em ser entrevistada, logo se descontraiu e fez até pose para as fotos. Sua audição, porém, já apresenta alguns probleminhas, embora não comprometa a prazerosa conversa. Indagada sobre o segredo da longevidade, respondeu: “Eu já conversei com Jesus Cristo e ele pediu pra mim ser paciente”, falou aos risos. No final da entrevista, recomendou novamente que escrevesse pouco. “Se estiver muito floreado nós vamos cortar”, disse a carinhosa senhora, que esbanja alegria e simplicidade no auge de seus 102 anos de vida. Abaixo, Ilka ao lado da Fila Stella e o genro William Baracat, e depois num momento de fé junto com a imagem de uma santa em sua sala.