Domingo, 25 de Outubro de 2020
14981559897
Geral ELEIÇÕES

Oficial: Faneco e Scartezini estão fora das Eleições

Candidatos que tinham problemas com a Justiça Eleitoral serão substituídos por Paulo André e Sandra Pim.

16/10/2020 09h20 Atualizada há 1 semana
1.216
Por: Francisco Alves Neto Fonte: Da redação
Faneco e Scartezini desistiram da disputa.
Faneco e Scartezini desistiram da disputa.

Agora é oficial: o ex prefeito José Alcides Faneco (PSDB) e o ex-vereador Pedro Scartezini (PRTB) estão definitivamente fora das Eleições 2020. Os principais candidatos da coligação que se denomina “Garça Forte e Humanizada” (PSDB, PRTB e CIDADANIA) decidiram se antecipar e sair da disputa antes mesmo da Juíza Eleitoral emitir seu parecer em relação ao pedido de impugnação de suas candidaturas feito pelo Promotor Eleitoral Richard Fabrício de Messas. Na solicitação, o Ministério Público alegou que Faneco constava como contas não prestadas, enquanto seu vice foi condenado em segunda instância por improbidade administrativa. 

Com a desistência homologada na tarde desta quinta-feira (15) junto ao Cartório Eleitoral, a chapa agora é encabeçada pelo vereador e filho do ex-prefeito Paulo André Faneco, que terá como vice a ex secretária de educação Sandra Pim Marino, ambos do PSDB. 

O prazo para substituição dos candidatos vence no dia 26 de outubro, e o motivo da mudança, segundo alegado pelo agora candidato Paulo André, é que a demora da Justiça Eleitoral em definir a questão estava “travando” a campanha. “A nossa defesa já foi apresentada no TSE há mais de 10 dias. Isso não foi julgado e a gente não consegue fazer campanha. Resolvemos mudar e ir para a campanha. Faltam 30 dias para as eleições e o grupo entendeu que tinha outros nomes que poderiam substituir sem problemas”, declarou em entrevista ao site Marília Notícias. 

Apesar das declarações de que o pedido de impugnação não ia prosperar, a realidade é que o registro da candidatura do ex-prefeito, que estava nebulosa, se complicou ainda mais na semana passada, quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou agravo de instrumento impetrado pela defesa visando reverter a decisão que o mantinha fora do pleito deste ano por não ter prestado contas em 2018, quando tentou (e desistiu) concorrer ao cargo de deputado federal. 

A defesa tentou e perdeu todos os recursos, e na semana passada teve rejeitado seu último Agravo Regimental junto ao Tribunal Superior Eleitoral. Logo após o parecer contrário do TSE, o Promotor Eleitoral anexou ofício ao pedido de impugnação que estava sendo avaliado pela juíza. No documento, o representante do Ministério Público apontava como “sacramentada a inelegibilidade” já que o recurso derradeiro foi negado por unanimidade (7 a 0), como mostra o documento abaixo, na íntegra.