Segunda, 26 de Outubro de 2020
14981559897
Geral ÁGUA

Falta de água causa revolta na população durante a maior estiagem dos últimos 40 anos em Garça

O Garça em Foco vem acompanhando toda a revolta da população de Garça com a falta de água durante os últimos dias. Fomos apurar oficialmente vários fatores que contribuíram para tal momento e o que pode influenciar em um futuro sem eventuais transtornos a todos.

06/10/2020 17h07 Atualizada há 3 semanas
2.332
Por: Da Redação Fonte: Garça em Foco
Falta de água causa revolta na população durante a maior estiagem dos últimos 40 anos em Garça

O Garça em Foco vem acompanhando de perto toda a revolta da população de Garça com a falta de água durante os últimos dias. Essa é a maior estiagem de chuva dos últimos 40 anos no município e fomos apurar vários fatores que contribuíram para tal momento e o que pode influenciar em um futuro sem eventuais transtornos a população garcense.

Nos anos 80 foi a falta de carne bovina. Depois ainda tivemos crise de combustíveis, gás de cozinha e mais recentemente, a greve dos caminhoneiros que parou o país e causou o desabastecimento de vários itens de primeira necessidade.

Porém, nada se compara à gravíssima crise hídrica que enfrentamos, com uma inesperada estiagem que supera uma centena de dias. Reservatórios insuficientes, consumo maior do que a capacidade de produção, desperdício de água, falta de investimentos no passado, enfim, uma série de fatores pode ser apontada neste momento como a causa desta situação que aflige vários pontos de Garça.

O transtorno causado pela falta do líquido mais precioso do planeta, tem causado reclamações constantes, recheados de relatos que espelham bem a situação, principalmente em residências com crianças, idosos e acamados. 

O SAAE – Serviço Autônomo de Água e Esgoto, autarquia municipal que sempre recebeu elogios, tem sido constantemente cobrado para que seja encontrada uma rápida solução para isso. Muitos questionamentos estão sendo levantados pela população dos bairros que mais tem sofrido com essa falta de água (Morada do Sol, Sol Nascente e Jardim Imperador).

Segundo nota do SAAE enviado a equipe do Garça em Foco, a última vez que houve algum investimento na captação foi na década de 80, quando da interligação da represa da fazenda Cascata, que está com nível muito baixo, a B1.

Revezamento

Castigados por dias sem água, o que mais os moradores destas localidades questionam é o porquê de não ser feito um revezamento, já que outros bairros seguem recebendo água normalmente. Entramos em contato com funcionários e diretores do SAAE que nos relataram através de comunicado que o sistema de distribuição de água em Garça é feito por gravidade, assim, os bairros mais altos, aqueles localizados na zona oeste, sempre vão sofrer mais, pois a água vai demorar muito mais para chegar. Além disso, Garça, em muitos setores, contando ainda com um sistema de distribuição de água anterior a fundação do SAAE, não possui uma setorização na distribuição, ou seja, não há como direcionar a água de um bairro para o outro. Por isso que não há como ser feito um revezamento.

1 - Solução para redes setorizadas

Nossa reportagem também entrou em contato com a Secretaria de Comunicação da Prefeitura, que nos informou que o prefeito João Carlos dos Santos, já apresentou e conseguiu aprovar junto à FUNASA (Fundação Nacional da Saúde), um projeto de setorização que resolverá este antigo problema. Porém, é aguardado o aval por parte deste órgão governamental responsável pelo saneamento básico para a implementação do mesmo, que consumirá milhões de reais em sua implantação.

2 – Reservatórios 

Ainda segundo o comunicado do SAAE para nossa equipe, o problema não são os reservatórios, mas sim a captação de água para os mesmos sempre estarem cheios. Hoje a ETA – Estação de Tratamento de Água - produz cerca de 9,5 milhões de litros de água, com o consumo chegando a 12 milhões de litros diários utilizados pela população nesse período de altas temperaturas.  Com este cenário, a água sempre faltará em algum momento. Atualmente, a B1 praticamente não funciona, devido ao nível da água, insuficiente para chegar às calhas de captação. Já a B2 se encontra com um déficit de 30%. Por isso a situação caótica que, a curto prazo, poderá ser resolvida apenas com as chuvas. O problema é que a previsão destas precipitações é desanimadora, com uma eventual possibilidade de chuva no meio da próxima semana. 

3 - Poços Artesianos

Está sendo comum surgirem soluções que os moradores, à beira do desespero, estão apresentando, mesmo sem conhecimento técnico do assunto. Uma delas é a construção de vários poços artesianos pela cidade. De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Garça, em 2019, após estudo, chegou-se ao consenso da abertura de um poço profundo para captação de água junto ao aquífero Guarani, com o mesmo sendo ao lado da B1. O investimento será na ordem de R$ 3,5 milhões só para a abertura do mesmo, que começará dentro de 15 dias. A licitação foi aberta em maio passado, antes do início da estiagem, a maior dos últimos 40 anos. Com a utilização do poço já no primeiro trimestre de 2021, onde é esperado uma vazão de aproximadamente 300 metros cúbicos hora, este problema resolverá definitivamente o problema de captação de água para os moradores de Garça.

4 – Dinheiro em caixa do SAAE

De acordo com o que foi informado a nossa reportagem, a autarquia municipal, o SAAE, possui cerca de R$ 15 milhões em caixa, com esse total todo empenhado para investimentos, com aprovação do Conselho Deliberativo. Aliás, nos próximos cinco anos aquele órgão tem um plano de melhorias na ordem de R$ 25 milhões. 

Essa meta incluiu a reforma total do reservatório subterrâneo de 4,8 milhões de litros, que não recebia investimentos desde sua inauguração, em 1961. O poço profundo de Jafa e o poço do novo distrito empresarial, também são exemplos de aplicações de valores. A situação é muito complexa e por isso, a preocupação com o futuro do setor que está sendo programada desde 2017. Mas ninguém esperava por este fenômeno climático que provocou esta absurda crise de falta de água em todo interior.

5– Reflorestamento de nascentes e do Córrego Barreiro

Para o SAAE, ninguém se atentou ao fato que as águas pluviais, por onde passam, simplesmente destroem e erradicam as árvores plantadas. Por isso foi realizado um estudo sobre a solução futura deste problema, que passa por um avançado projeto aprovado pelo IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo). Seria a construção de grandes caixa de retenção de águas pluviais, como os piscinões existentes na capital do estado. O primeiro seria na conhecida "Praia do Julinho". 

6 – Consciência da população

Uma outra situação quem vem ocorrendo há tempos e vem sendo minimizada são as campanhas do SAAE e da Prefeitura de Garça quanto a utilização e para que se evite abusos e excessos com a água. A Secretaria de Comunicação de Garça diz que estas campanhas parecem que não estão surtindo efeito e mesmo com o caso alarmante ao qual estamos vivenciando os excessos acentuados permanecem.