Segunda, 26 de Outubro de 2020
14981559897
Geral HOMENAGEM

100 anos: Exército presta homenagem a ex-combatente da FEB em Garça

Cerimônia com direito a medalhas, Diploma e pelotão com bandeira e corneta emocionou familiares de José Balasalma.

03/10/2020 18h19 Atualizada há 3 semanas
555
Por: Da Redação Fonte: Garça em Foco
100 anos: Exército presta homenagem a ex-combatente da FEB em Garça

Na terça-feira, 29 de setembro, foi realizada cerimônia de entrega da “Medalha de Vitória” e Diploma de Reconhecimento ao ex-combatente da FEB (Força Expedicionária Brasileira) na Segunda Guerra Mundial, José Belasalma, que no último mês de junho, dia, 2, completou 100 anos de idade, residindo em Garça desde os 18 anos. 

O evento ocorreu na residência de familiares, na Rua Tiradentes, e foi de iniciativa da 6ª Circunscrição do Serviço Militar, em Bauru, através da 10ª Delegacia do Serviço Militar de Marília e com o apoio do Tiro de Guerra 02/014 de Garça. 

O chefe de instrução do TG local, 1º sargento Odinei Leite de Lima, destacou pelotão especial de atiradores para estar presente, contando ainda com o 1º tenente Claudiomiro Santos Lima, delegado da 10ª Delegacia do Serviço Militar. Familiares e amigos prestigiaram aquele momento singular. 

Atendendo a um cerimonial e protocolos específicos para a ocasião, foi procedido o toque de presença de ex-combatente pelo corneteiro e todos os militares prestaram continência em direção a José Belasalma, que foi acomodado em uma cadeira em área aberta da residência. 

 

A HONRARIA - O Decreto de Nº 5.023, de 23/03/2004, criou a Medalha da Vitória em reconhecimento a atuação do Brasil em defesa da liberdade e da paz mundial, em especial, na Segunda Guerra Mundial. 

A Medalha da Vitória destina-se a agraciar militares das Forças Armadas, civis e militares e civis estrangeiros, policiais e bombeiros militares, organizações militares e instituições civis nacionais ou estrangeiras, que tenham contribuído para a difusão dos feitos dos ex-combatentes durante a Segunda Guerra Mundial, participado de conflitos internacionais na defesa dos interesses do País, integrado missões de paz, prestado serviços relevantes ou apoiado o Ministério da Defesa no cumprimento de suas missões constitucionais. 

A Bandeira Nacional ocupou posição de honra no dispositivo, e, em seguida, o 1º tenente Claudiomiro Lima fez a entrega da Medalha da Vitória e do Diploma de Reconhecimento. Ele também usou da palavra. 

“É uma satisfação estar aqui na casa do senhor José, juntamente com seus familiares, fazendo a entrega solene, em nome do Exército, da Medalha da Vitória e do Diploma, como reconhecimento àqueles que lutaram na Guerra ou se prepararam para defender o nosso país. Trata-se de justa homenagem, sendo que o Diploma é assinado pelo Ministro da Defesa, general Azevedo”, expressou. 

O 1º tenente agradeceu ao sargento Odinei do TG de Garça, que mobilizou a estrutura necessária para que a entrega ocorresse de forma breve, tendo contado com todo o apoio, inclusive, da família de José Belasalma. “Agradeço ao senhor José por ter disponibilizado a sua vida para defender nosso País”, acrescentou.  

Para o sargento Odinei, se o Brasil alcançou o “status” que tem hoje de liberdade e soberania, isso se deve a “esses heróis de guerra”. “O Brasil foi o país da América Latina que enviou o maior efetivo para a Segunda Guerra Mundial. Muitos se preparam e não foram, que é o caso do senhor José. Mas abdicou de sua própria vida para que nós estivéssemos hoje aqui. O mérito não é tirado por conta disso – de não ter ido. A contrário. Assim, temos de honrar esses heróis que ainda temos entre nós”, destacou o responsável pelo TG local. 

“O senhor José contava que ele e seus companheiros, em Fernando de Noronha, estavam subindo no Navio que os levaria à batalha, quando receberam a notícia do final dos confrontos”, lembrou seu genro, Antonio Carlos Sanches. “Eles se prepararam e esperaram sua vez de ser chamados. Estavam de prontidão”.  

 

BOX – 2ª Guerra Mundial: a marcenaria pode esperar

 

A história de José Belasalma, ex-combatente da FEB nos anos entre 1943 e 1945, durante a Segunda Guerra Mundial, começou, na verdade, em São Carlos/SP, onde nasceu. Mudou-se para Garça aos 18 anos, de onde só saiu quando se alistou para lutar no confronto em que o Brasil acabou entrando, depois que o Governo Vargas rompeu com os alemães, passando a apoiar os Estados Unidos e os demais aliados (Reino Unido, França e União Soviética) contra o Eixo (Alemanha, Itália e Japão). A base desse apoio eram os interesses econômicos. 

José Belasalma rumou para Fernando de Noronha, passando também por São Paulo e Natal/RN, por exemplo. Lá, aguardavam o chamamento para seguir rumo à Europa ou, antes, novo treinamento nos EUA, como ocorrera com outros soldados e voluntários (cerca de 25.000 brasileiros se envolveram para lutar). 

Casado com Piedade Leal Belasalma, falecida há seis anos, teve duas filhas – Vera Lúcia Leal Belasalma, casada com Antonio Carlos Sanches, e Lúcia Irene Belasalma Rodrigues, casada com o conhecido advogado, “Dr Jesuino”. Residiu quase sua vida toda, desde que chegou, na Rua Heitor Penteado, altura do numeral 500. 

Como profissão, seguiu os passos de seu pai, como marceneiro, sendo muito experiente e aclamado, pois seguiu as técnicas mais tradicionais da atividade, conseguindo realizar verdadeiras obras primas. 

Para rever sempre os amigos, apostava na Loteria Esportiva, onde se encontravam para descontraídas conversas.