Domingo, 25 de Outubro de 2020
14981559897
Geral APURAÇÃO

Novo encontro de alimentos vencidos na Cozinha Piloto leva a abertura de sindicância para apurar o caso

A informação foi dada pela Secretaria Municipal de Educação, Rosely Gabana Padilha Silva, durante pronunciamento divulgado em rede social para esclarecer o novo encontro de dezenas de quilos de mantimentos fora do prazo de validade que estavam estocados no local.

28/09/2020 15h13 Atualizada há 4 semanas
592
Por: Francisco Alves Neto Fonte: Da redação
Novo encontro de alimentos vencidos na Cozinha Piloto leva a abertura de sindicância para apurar o caso

A Prefeitura de Garça anunciou no final da tarde desta segunda-feira que vai abrir sindicância administrativa para apurar o caso dos alimentos da merenda escolar vencidos na Cozinha Piloto. A informação foi dada pela Secretaria Municipal de Educação, Rosely Gabana Padilha Silva, durante pronunciamento divulgado em rede social para esclarecer o novo encontro de dezenas de quilos de mantimentos fora do prazo de validade que estavam estocados no local. Assim como ocorreu semana passada, quando funcionários públicos foram flagrados descartando alimentos no aterro sanitário, o fato desta segunda-feira veio à tona através de vereadores que foram até o depósito e localizam os alimentos.

A Polícia Militar esteve no local e registrou boletim de ocorrência, e o caso está nas mãos da Polícia Civil que vai avaliar se cabe ou não instauração de inquérito para apurar o fato.  Por sua vez, a secretária de Educação garante que administrativamente o poder público vai apurar as responsabilidades por mais esse “erro” ocorrido no âmbito do Departamento de Alimentação Escolar. Segundo informado, no local ainda havia cerca de 700 quilos de produtos vencidos, que aguardavam destinação final, ou seja, uma possível troca com fornecedor ou descarte.

Embora admita falhas no processo, Rosely Gabana, no entanto, nega que sua pasta não tenha distribuído alimentos às famílias dos alunos da rede escolar durante a pandemia, conforme acusam. “Essa acusação é leviana”, declarou Rosely, salientando que cerca de 90 toneladas, entre frutas, legumes e verduras, não perecíveis, carne e frango, foram entregues a mais de três mil alunos da rede municipal.  “Além disso, quase uma tonelada de mantimentos do excedente das escolas que estavam, próximos dos vencimentos doamos para o setor de Assistência Social e entidades como Casa Abrigo e Lar dos Velhos”, informou.

Para a secretária, é injusto usar o momento política para atacar e destruir todo um trabalho que foi feito nos últimos meses pensando no bem dos alunos e seus familiares. “Quero deixar minha profunda indignação com a conotação que está sendo dada a esses erros. Nós vamos apurar os fatos. O que for passível de punição será punido. O que não aceito é usar esse assunto como palanque político”, desabafou.