Segunda, 14 de Junho de 2021
14981559897
Geral VACINAÇÃO

Descubra se você se encaixa em alguma comorbidade indicada para vacina da Covid

Condição de risco deve ser atestada por meio de exames, receitas, relatórios e prescrição médica.

27/05/2021 10h39 Atualizada há 2 semanas
Por: Francisco Alves Neto Fonte: Da redação
Descubra se você se encaixa em alguma comorbidade indicada para vacina da Covid

Diabetes, hipertensão arterial, problemas cardíacos e pulmonares são alguns dos fatores que apresentam risco de agravamento da Covid-19. Contudo, a comorbidade, ou seja, a existência dessas condições associadas, pode apresentar risco ainda maior. Por esse motivo, o Ministério da Saúde definiu que as pessoas portadoras destas condições devem ser vacinadas contra o coronavírus prioritariamente. 

Dessa forma, é fundamental que as elas estejam devidamente pré-cadastradas no Sistema de Informação do Plano Nacional de Imunizações (SI-PNI) ou em outra unidade de saúde do SUS (Sistema Único de Saúde). Entretanto, para aqueles que não conseguirem se inscrever, outras formas de comprovação da comorbidade podem ser apresentadas, constatando que a pessoa realmente pertence ao grupo prioritário. A condição de risco deverá ser comprovada por meio de exames, receitas, relatórios e prescrição médica. As pessoas com deficiência deverão apresentar o comprovante de recebimento do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC).

A Secretaria de Saúde de Garça está realizando a vacinação de pessoas maiores de 40 anos com comorbidades, mas grande parte da população tem dúvidas em relação as doenças que se enquadram nesse grupo. Por isso o Garça em Foco traz esclarecimentos para que o cidadão melhor é a vacinação da Covid-19 para pessoas com comorbidade.

O QUE SÃO COMORBIDADES

A comorbidade é a situação em que ocorre a associação de duas ou mais doenças simultaneamente em uma pessoa. Ou seja, quando ela apresenta colesterol e hipertensão, insuficiência cardíaca e outros problemas respiratórios, e também doenças que acabam gerando a diminuição da imunidade, como o câncer. Diante do Novo Coronavírus, doenças preexistentes como a hipertensão, diabetes, tuberculose e asma são algumas das principais enfermidades que podem afetar o estado de saúde e agravá-lo, aumentando as chances de internação, até mesmo na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Comorbidades elencadas pelo Ministério da Saúde:

As enfermidades aceitas pelo Estado seguem a lista de comorbidades definidas pelo Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde.

Insuficiência cardíaca;

Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar;

Cardiopatia hipertensiva – Hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo;

Síndrome coronarianas – Angina Pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio e outras;

Valvopatias – Lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico (estenose ou insuficiência aórtica; estenose ou insuficiência mitral; estenose ou insuficiência pulmonar; estenose ou insuficiência tricúspide, e outras);

Miocardiopatia e pericadiopatias;

Doença da aorta, dos grandes vasos e fistulas arteriovenosas – Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos;

Arritmia cardíacas;

Cardiopatias congênitas no adulto – Cardiopatias congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento 28 miocárdico;

Prótese valvares e dispositivos cardíacos implantados – Dispositivos como marca-passos, cardio desfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência;

Diabetes mellitus;

Pneumopatias crônicas graves – Inclui doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave (uso recorrente de corticoides sistêmicos, internação prévia por crise asmática);

Hipertensão arterial resistente;

Hipertensão artéria estágio 3;

Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo;

Doença cerebrovascular – Acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular;

Doença renal crônica;

Imunossuprimindos – Indivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses; neoplasias hematológicas;

Anemia falciforme;

Obesidade mórbida- Índice de massa corpórea (IMC) maior ou igual 40

Síndrome de Down;

Cirrose hepática;

HIV;

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.