Segunda, 08 de Março de 2021
14981559897
Brasil COMBUSTÍVEL

Entenda como são formados os preços da gasolina e diesel

Maior fatia do preço da gasolina é formada por impostos. Veja as ilustrações e entenda melhor.

18/02/2021 13h45
219
Por: Da Redação Fonte: Garça em Foco
Foto: G1
Foto: G1

O ano de 2021 começou com sucessivas altas no preço dos combustíveis, pesando nos bolsos dos consumidores.

Como a Petrobras é dominante no mercado, a influência do preço da gasolina e diesel começa com a empresa, mas também há a venda de empresas privadas. O diesel sofre ainda mais influência, por conta do peso do petróleo na composição.

Além de impostos (ICMS, PIS/Pasep e Cofins, e Cide), a diferença entre os preços das refinarias para o preço cobrado do consumidor sofrem influência dos lucros do produtor ou importador, custo do etanol anidro, no caso da gasolina, e do biodiesel, no caso do diesel, e margens do distribuidor e revendedor.

Veja abaixo a formação de preço de cada um e entenda.

Gasolina

A gasolina vendida nos postos é uma mistura entre gasolina e etanol anidro. A divisão é de 73% e 27%, respectivamente. Como o diesel, incidem os impostos e lucro de distribuição e revenda no preço final.

A maior fatia do preço da gasolina é formada por impostos. Somados, o ICMS, o PIS/Pasep e Cofins somam 44% do valor final, sendo 29% para o primeiro e 15% para os demais. O que fica para a Petrobras (a realização ) são 29% do preço final.

Na sequência, entra o etanol anidro – representa 15% do valor final. O lucro das distribuidoras e revendedoras é de 12%.

Diesel

O diesel tem a maior influência da Petrobras sobre a formação dos preços. A porção de realização (fatia que fica com a Petrobras) da empresa no preço é de 47%, quase metade do que o consumidor encontra da bomba.

Os impostos são a segunda maior fatia, com 23% do preço. Há, contudo, uma divisão entre tributos federais e estaduais. O ICMS, da Unidade Federativa, é maior, com 14%. Cide, PIS e Cofins têm uma mordida de 9%.

A cadeia de distribuição e os revendedores ficam com 16% do valor pago, terceira maior porção do preço.

Por último, há também influência do biodiesel. Atualmente, é necessária uma mistura mínima ao diesel mineral em proporção de 12% pelas distribuidoras, segundo a Petrobras. Em 2023, essa parcela deve chegar a 15%.

dadad

adada