Domingo, 07 de Março de 2021
14981559897
Saúde CORONAVÍRUS

Marília e Bauru já investigam se variantes do coronavírus estão em circulação nas cidades

Secretários da saúde das cidades vizinhas afirmaram que os municípios começaram a investigar os casos já nesta segunda-feira (15). Garça ainda não se manifestou publicamente sobre o assunto.

16/02/2021 07h56
725
Por: Da Redação Fonte: Garça em Foco
Marília e Bauru já investigam se variantes do coronavírus estão em circulação nas cidades

Após a circulação da variante brasileira do novo coronavírus, conhecida como P1, ter sido confirmada no interior do estado, a Secretaria Municipal de Saúde de Bauru decidiu encaminhar 50 amostras de material coletado de pacientes da cidade. Já a Secretaria Municipal de Saúde de Marília disse que vai enviar amostras para análise para detectar a possibilidade ou não de já estar circulando no município. As autoridades de Garça ainda não se manifestaram publicamente sobre o assunto.

"Já temos casos em Jaú e Araraquara e acredito que já haja em Bauru. A transmissão ocorre de forma muito rápida e queremos identificar o que está ocorrendo na cidade para tomarmos as medidas que forem necessárias", observa Orlando Costa Dias, vice-prefeito e secretário da saúde de Bauru.

“Vamos enviar amostras ao Instituto Adolfo Lutz para detectar a possibilidade ou não de já estar circulando aqui também a nova variante”, afirmou secretário da saúde de Marília, Cássio Luiz Pinto Junior.

Até esta segunda-feira (15), 25 casos da linhagem brasileira já tinham sido confirmados no Estado, sendo 16 deles autóctones, ou seja, de pacientes que não viajaram ao Amazonas ou tiveram contato com moradores de lá, onde esta cepa foi descrita pela primeira vez. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, há casos confirmados na Capital, Jaú, Águas de Lindóia e Araraquara. Há, também, outras sete confirmações da variante britânica na Capital e em Sorocaba.

Na última quinta-feira (11), autoridades de saúde pública do Reino Unido alertaram para uma nova cepa do coronavírus SARS-CoV-2 descoberta recentemente, a variante de Bristol, conhecida como Kent. Segundo dados preliminares, o vírus com essas mutações poderia recontaminar pessoas que já tiveram COVID-19 ou ainda pessoas imunizadas contra a infecção. Por este motivo a situação preocupa.