Domingo, 07 de Março de 2021
14981559897
Polícia PRENDEU

Acusado de matar mãe e filha em Pompeia é preso em Campo Grande

Guarda Municipal de Campo Grande encontrou o suspeito do crime que chocou toda a região trabalhando em uma obra uniformizado. Polícia Civil de Pompeia informou que irá buscá-lo nas próximas horas.

08/02/2021 21h22 Atualizada há 4 semanas
2.506
Por: Da Redação Fonte: Garça em Foco
Acusado de matar mãe e filha em Pompeia é preso em Campo Grande

O homem suspeito de matar a mulher e a enteada de apenas 9 anos em Pompeia, no interior de São Paulo, foi preso no começo da noite desta segunda-feira (08), em Campo Grande. O psicólogo Fabrício Buim Arena Belinato, de 36 anos, foi encontrado trabalhando em uma obra do Jardim Macaúba, na região sul da capital. As vítimas desapareceram em novembro do ano passado e ele foi identificado como suspeito e era procurado.

De acordo com a Guarda Municipal, Fabrício foi encontrado após denúncias e foi encaminhado para o Centro Especializado de Policia Integrada (Cepol). Ele estava com o cabelo raspado e com uniforme de trabalho.

Durante a investigação, a polícia obteve informações de Fabrício teria sido visto no último final de semana passeando pelo centro de Bataguassu, na divisa com o estado de São Paulo, conforme o Garça em Foco publicou. A Polícia Civil de Pompeia recebeu uma outra informação de que o homem teria ido à Campo Grande, capital sul-mato-grossense.

“Estávamos guardando sigilo, mas realmente era ele em Bataguassu (MS), no sábado. Fomos para lá assim que recebemos a informação, estivemos no hotel, mas ele já havia saído. Disparamos um alerta para toda a região”, disse o delegado Cláudio Anunciatto Filho, titular da Polícia Civil de Pompeia em referência a uma busca no último final de semana, a cerca de 50 quilômetros de Campo Grande.

Os corpos de Cristiane Arena, de 34 anos, e Karoline Vitória, de 9 anos, foram encontrados a poucos dias, enterrados no quintal da residência da família, em Pompeia. No dia Fabrício foi ouvido, mas acabou sendo liberado pois a polícia ainda estava tentando desvendar o mistério.